18 de março de 2008

Espontâneo



A dança sem dúvidas é uma linguagem universal, pois torna possível contarmos uma história com o início, meio e fim sem falarmos uma palavra sequer, e mesmo sendo de diferentes etnias, credo ou raça, todos entendemos a mensagem que é passada através dos movimentos dançados, e dessa forma vencemos as barreiras da língua e falamos com o corpo.

Já vimos anteriormente em outro estudo aqui que o nosso corpo é templo (morada) do Espírito Santo e por isso temos dentro de nós uma fonte inesgotável de movimentos que expressarão para o Pai o que lhe for agradável receber. Então, não há como afirmar que uma pessoa não pode dançar livremente um espontâneo.

Os nossos movimentos falam, o nosso corpo através da ação do Espírito Santo expressa adoração a Deus, e com a nossa dança damos a Deus a glória devida ao Seu Nome. Um gesto fala mais do que uma palavra, daí a preocupação com essa forma de linguagem.

Há um seguimento dentro da dança eclesiástica hoje, o qual denominamos: ESPONTÂNEO. Mas, não podemos esquecer que esse tipo de expressão livre já existe na dança secular a bastante tempo, sendo bastante executado em solos, onde o bailarino expressa livremente uma dança personalisada, sem ensaios anteriores.
Infelizmente, no meio secular esse tipo de expressão é usada para focar o bailarino e o colocá-lo como o centro das atenções recebendo aplausos pela sua técnica perfeita e facilidade em expressar suas emoções.
Nós, que adoramos a Jesus, vamos em uma via totalmente inversa. Ao dançamos espontaneamente, damos somente a Deus a glória, e conseguimos entregar algo pessoal ao Pai sem nos importarmos com as pessoas e nem com a postura que teremos que manter diante delas. Assim como a dança pré estabelecida, o espontâneo tem uma essência de total entrega do adorador que se manifesta com uma espontaneidade responsiva, que é nada mais do que trazer toda a congregação para momentos de júbilo, edificação, gratidão, cura, libertação e restauração na presença de Deus. O espontâneo não é uma exibição de talentos, mas um ato de chamar a congregação para adorar com danças.

A dança espontanea pode ser individual ou em grupo. Em grupo podemos executar movimentos juntos com um guia,pessoa que executará o movimento e os outros o seguirão. O guia pode variar de acordo com a posição em que ficarem as pessoas ao executarem os movimentos, ou ainda pode ser estipulado antes um guia para cada música. Pode ser executado também em duplas ou trios. Vale o que for mais conveniente na hora da ministração, avaliando o espaço disponível, o ambiente e a disposição daqueles que estarão disponíveis para ministrarem naquele dia dessa forma.

Ao dançarmos espontaneamente precisamos nos atentar para duas coisas:

* Não chamar atenção para si mesmo com exibicionismos. Devemos sempre termos em foco que não dançamos mais diante de uma platéia, mas sim diante de um trono no qual o Rei dos Reis está assentado recebendo a nossa adoração.
* Expressarmos algo pessoal, ou seja, ouvirmos e sentirmos a direção do Espírito Santo para sermos conduzidos em uma dança que será como aroma agradável ao Pai. Sem cópias, com expressões intensas em alguns momentos e leves em outros. Movimentos que contaram uma história com início, meio e fim. Termos expressões faciais que demonstrem o que estamos sendo ministrados naquele momento, seja alegria, dor pelo pecado, arrependimento, intercessão e outros.

No caso da dança na igreja, o espôntaneo consegue em meio ao louvor e adoração definir e retratar nas suas variadas manifestaçõesuma realidade que Deus busca nos seus adoradores, a espontaneidade e a liberdade. Como o próprio nome já diz, essa forma livre de expressão nos deixa completamente à vontade para correspondermos com o que o Espírito Santo nos direciona a fazer no momento. Sem marcações prévias ou seqüencias montadas nos deixamos levar pela melodia e atendemos ao Espírito Santo para expressarmos uma liberdade corporal com uma linguagem totalmente livre de padrões pré estabelecidos na dança, e muitas vezes fluindo uma expressão estranha aos olhos daqueles assistem.

Outro ponto que precisamos abordar e cuidar para que a execução do espontâneo alcance o objetivo proposto é sabermos se o que estamos querendo transmitir e comunicar será bem compreendido através dos movimentos executados. Não devemos falar por falar, dançar por dançar e sim pensarmos, refletirmos para então nos fazermos entender e o mesmo deve acontecer com o espontâneo.
Ao dançarmos espontaneamente devemos ter cuidado para que façamos movimentos condizentes com o que chamo de BASE.

BASE = Melodia, Ritmo e Letra da música ministrada.

Um erro muito praticado no espontâneo é que ao dançá-lo muitos não seguem essa BASE: melodia-ritmo-letra e se perdem executando movimentos vazios e sem expressão alguma.
Ao iniciarmos um espontaneo precisamos acalmar a nossa alma, aguçarmos nossos sentidos espirituais e então comerçamos a nos expressar com clareza, sem atropelarmos o que estamos ouvindo, sem pressa, mas seguindo sempre a BASE de melodia-ritmo-letra.
Em alguns casos a BASE pode se apresentar só em melodia-ritmo, sem a letra, exigindo de nós uma concentração bem maior e uma certa destreza em executarmos movimentos mais simples que expressarão exatamente o que estamos sentindo.

Algo muito importante é: RESPEITE O AMBIENTE CRIADO PELO ESPÍRITO SANTO. Como assim? Simples. Respeite o que o Espírito Santo está querendo ministrar aos seus naquela hora, seja sensível, muitas vezes se torna totalmente desnecessário movimentos, passos bem executados, mas o que se pede nesse momento é algo simples e bem sutil, como ficar ajoelhado e movimentar somente braços, ou somente se prostrar ao chão. Lembre-se: não é para você ter a atenção e sim Deus. Nesse tipo de ambiente qualquer movimento exagerado colocará a dança fora da sintonia do Espírito Santo e até pode interferir no que Deus está propondo.
Há momentos em que já se fazem necessários, executá-los com expressões grandes, como girar e elevar os braços, movimentos que expressarão exaltação e a grandeza de Deus. Em outros momentos, parece cair bem expressões fortes e cortantes com movimentos de guerra.
Mas, em tudo seja sensível para captar o que é necessário fazer. Pode até parecer estranho, mas já estive em alguns momentos em que o melhor a fazer era aquietar-me e ficar sem dançar somente ouvindo e desfrutando da presença intensa do Pai.

Uma sugestão prática para alcançar uma expressão espontânea com mais destreza e habilidade é reunir-se com o ministério colocar uma música e liberar-se em adoração tentando expressar o que o Espírito Santo conduzir, sempre respeitando a BASE (melodia-ritmo-letra). Deixe sempre uma ou duas pessoas do ministério assitindo para que possam corrigir possíveis erros e darem sugestões para aprimorarem a dança espontânea. Treinem movimentos juntos, para obterem um vocabulário de movimentos e executarem bem o espontâneo. Note bem, não estou dizendo para ensaiarem o espontâneo, mas sim, para treinarem movimentos independentes juntos. Gaste tempo nisso.

Que haja liberdade para expressarmos uma dança conduzida pelo Espírito Santo que adorará o Pai com os mais belos movimentos de amor e entrega. E que a nossa dança atraia o coração Deus e seja um convite para que Ele venha dançar conosco pelas nações.

Deus abençoe!

6 comentários:

WORSHIP WORSHIP disse...

è Roberta o dançar espontaneamente tem que estar muito atenta ao que vc quer falar e ao que Jesus quer ouvirrrrr!!bjus

Anônimo disse...

Quão edificante foram tuas palavras para mim... recentemente entrei no grupo de coreografia da minha Igreja, já dancei coreografado, mas ainda nao dancei espontaneo porque sentia medo. Obrigada vc me ajudou muito!

Anônimo disse...

Puxaa Deuus te usoou esclarecendo varia duvidas ; sou lider do ministerio de coreografia ii sempre fui combrada a dançar espontaneo mais poor naum saber verdadeiramente como era sempre adiei ... Mais com suas explicações já posso passar pro meu ministerio ii comerçarmos a fazer o qee Deus sempre qiis

Anônimo disse...

Graça e paz amada!
Não poderia deixar de comentar o como cada palavra foi edificante para a minha vida neste momento. Louvo a Deus por sua vida, seu minitério e em cada dança que você tem apresentado ao senhor.
Que a cada dia e momento ele se faça mais presente e real em sua vida.
Atualmente estou fazendo parte do ministério de louvor em minha igreja mas com a dança, sou da Assembléia de Deus em Búzios. Estou muito feliz com a oportunidade que Deus me deu pois é algo que ele tem colocado em meu coração, meu desejo de expressar através da dança o seu amor, o perdão, a misericórdia que ele tem de nossas vidas é muito grande.
Que possamos sempre ter humildade e simplicidade não só na presença do paim mais que possamos ser bons exemplos aos olhos dos que não creem.
Se pudermos nos comunicar depois, ficarei mto contente.
Meu msn eh: buziosdany@hotmail.com e meu orkut é Danielle Trajano.
Fik c Deus, que ele te abençoe sempre =)

Completamente Apaixonada disse...

Paz querida!
Não poderia deixar de agradecer a Deus pela sua vida, e pedí-lo que capacite ainda mais.
Faço parte da diretoria da dança da minha igreja e minha líder me pediu pra fazer um estudo com o tema: "Dança e Espiritualidade".Temi mas peguei a responsabilidade tenho quinze anos e ainda não aprendi nada, mas ainda assim tive como propósito abordar o assunto "Dança espontânea "
e o seu estudo me ajudou muito.
Obrigada.
Deus abençôe você.

Ana Carolina

AMAR É PRECISO, PARA VIVER!!!! disse...

amada quão grande os enhor te usou para esclarecer as minhas duvidas que os senhor te abençoe e que um dia eu venha encontra-la pelas naçoes dançando
fica com DEUS

Postar um comentário

Obrigada pela visita... volte sempre!