31 de outubro de 2007


Creio que para alcançarmos um entendimento sobre a Dança em adoração, precisamos antes de tudo entendermos e compreendermos o que é a Adoração Profética, como ela acontece, como é gerada e onde a dança se aplica nela.

Ap. 2 e 3 nos ensina que o Espírito Santo tem algo a falar com a Igreja desde os dias da ascensão de Jesus. Ele foi enviado para conduzir a Igreja na Sua missão de agente de Deus para implantar o Seu Reino na terra. Jesus em João 16:13 nos deixa claro o papel do Espírito Santo.
De acordo com as palavras de Jesus, a Igreja ( é bom ressaltar que ao falarmos de igreja, estamos nos referindo a nós mesmos como corpo eigreja de Cristo, e não a espaços físicos e denominações), deve ter um relacionamento vivo e dinâmico em que o Espírito Santo fala, e a ouve e obedece a direção que o Espírito dá. Na verdade é o mesmo que Jesus vivia: dependência plena do Espírito Santo. Creio que Jesus viveu assim na terra para exemplificar este paradigma para a Igreja. (Jo 5:19)

Sou guiado pelo Espírito Santo, logo cumpro e vivo a Vontade de Deus para mim, isso inclui todas as áreas da nossa vida, ministerial, nosso chamado, sacerdócio, profissional ou afetiva, uma vez que entendemos que tudo o que vivemos deve estar contido e inserido no contexto do Reino de Deus.

Deus não está preocupado em seu sucesso ministerial, Deus não está focado em como você é o melhor dançarino, Ele está preocupado e focando na implantação do Seu Reino aqui na terra através de você, agente escolhido por Ele para tal tarefa. Lembrando que a dança não somente é uma forma de adoração, mas também é um instrumento para a implantação do Reino de Deus na terra, o seu papel precisa estar diretamente ligado a implantação do Reino. O Espírito Santo é quem nos conduz em nossa missão como cooperadores com Deus para implantar o Seu reino aqui. Atos 3:21 ensina que Deus está conduzindo a “restauração de todas as coisas”. Eu creio que este termo: adoração profética é algo que o Espírito Santo está falando para a Igreja nos nossos dias, trazendo de volta a sua essencia e intensidade. Da mesma forma que Deus tem trazido o entendimento sobre a adoração genuína e tem restaurado conceitos sobre isso, Ele também juntamente com a adoração tem trazido de volta elementos que a compõe, como a dança que em determinados momentos pode e deve profetizar.

Precisamos entender o que o Espírito Santo quer dizer com o termo “adoração profética” para podermos experimentar o que Deus propõe ao introduzir esta idéia na linguagem da Igreja. Então o que podemos entender?

Entendamos primeiro o “profético” para entender então, o que o Espírito Santo está falando. E a partir disto, entendamos como a nossa dança pode profetizar.

Vamos definir o “profético” como aquilo que Deus faz e fala para se dirigir ao ser humano para expressar os Seus pensamentos, sentimentos, desejos, determinações, e propósitos para com os habitantes da terra. Neste sentido, o “profético” traz à terra o que está no céu. Isso é coerente com o propósito de Deus em estabelecer o Seu reino aqui na terra. Lembramos que Jesus orou: Venha Teu reino, seja feita a Tua vontade assim na terra como no céu. Esta frase revela que é a vontade de Deus estabelecer o Seu reino na terra e Ele irá fazer isso. O reino/governo que Ele tem no céu será estabelecido aqui. O profético traz à terra o que está no céu. O propósito de Deus no profético é de propor uma visão, gerar uma expectativa, e revelar o Seu coração.

Gostaria de abrir um parêntese aqui para colocar algo muito importante que tem sido perdido no meio de uma onda de ensinamentos sobre a dança.
Diante do entendimento sobre o que é o profético e como ele acontece, podemos afirmar que a nossa dança é somente profética quando há uma junção com a dança do céu.
A dança que profetiza sempre acontecerá para Deus se dirigir à nós para se expressar e revelar-nos Sua vontade, seu propósito e isto sempre nos fará convergir em trazer o Reino/Governo de Deus para a terra.
Nem sempre a nossa dança será uma expressão profética, as vezes, ela será uma pura e genuína expressão de amor, gozo, paz, gratidão... quando a nossa dança expressa tais sentimentos ela é somente uma forma de adoração.

Vamos simplificar...
Dança profética é aquela que vem dos céus para nós.

Dança de adoração é aquela que sobe da terra para Deus, como uma oferta.

O nosso intento precisa sempre ser o de adora-Lo com danças em adoração, até que flua em nós a dança profética. A verdadeira adoração libera a voz profética II Re 3:15, I Sm 10:5-10.

Entende porque a dança de adoração precede a dança profética? Quando o adoramos em santidade, é liberado a voz profética.

O desejo de Deus é que a adoração da terra entre em concordância com a adoração do céu. Que O adoremos na terra, como Ele é adorado no céu. Que sejamos arrebatados pelo Seu Amor, Sua Santidade, Sua Bondade como os quatro seres viventes, os vinte e quatro anciãos e todos os adoradores celestiais. Que sejamos apaixonados como uma noiva que anseia o dia do seu casamento com Seu Noivo. Que os nossos “cultos” se tornem em momentos de encontro íntimo entre o Pai e seus filhos, entre o Noivo e a sua noiva.

A razão do Espírito Santo em falar isso para a Igreja é corrigir, transformar, modificar algo que víviamos. Vamos entender, Jesus está chamando a Igreja ao arrependimento desde o momento que Ele ditou as cartas às Igrejas do Apocalipse. Neste sentido o João foi profeta de Deus para chamar a Igreja ao arrependimento nas áreas que Jesus estava denunciando. Se olharmos para os profetas nas Escrituras, veremos que eles também tinham levantado suas vozes no mesmo sentido.

Podemos observar em Isaias 1:10-16, o profeta está denunciando que a adoração da nação não está agradando mais ao Senhor. O Senhor declara que embora estejam adorando normalmente, Ele nem está recebendo esta adoração. O seu contemporâneo Amós 9:11, também denunciou a adoração de Israel: Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de Davi... No momento em que Amós escrevia seu livro, o templo estava em pleno funcionamento. Com sua denúncia, Amós estava revelando o coração de Deus: Ele via a adoração do templo como “caído”.

Em vista destas coisas, cremos que a dança ao ser profética precisa também gerar arrependimento.

“Adoração profética” não se trata de nenhuma “novidade”, porque o que Deus propõe já existe no céu. Não se trata de “modismos”, pois adorar ao Senhor é a vocação sublime de todos nós. Torna-se “moda” por causa da nossa falta de discernimento do mover de Deus. Não se trata de “esquisitice” para aquele que sabe que adorar a Deus é algo que começou no céu e é sobrenatural.

O Espírito de Deus está denunciando que a adoração da Igreja deixa a desejar e está fora do que Ele quer, como estava a adoração de Israel nos dias de Isaías e de Amós. Ele chama a Igreja para olhar para o padrão divino de adoração: a adoração dada a Deus no céu. O Espírito Santo tem nos chamado para nos arrependermos e geramos uma adoração/ dança profética.

Infelizmente nos dias de hoje existe um tabu com relação a dança. Falar em dança no ambiente litúrgico ainda causa certo estranhamento em algumas pessoas. É muito mais fácil associar a dança às coisas do “mundo”, ao profano, do que às coisas de Deus. Esta “facilidade” nos transforma muitas vezes em críticos; ou ainda, em prisioneiros, e impede a manifestação do Espírito Santo através de uma das mais belas formas de expressão: a dança. O fato é que tal “facilidade” não exclui a existência de uma dança consagrada ao Senhor como genuína forma de adoração, portadora de uma palavra profética independente da técnica que esteja sendo usada – Ballet Clássico, Ballet Moderno, Jazz... Todas as técnicas foram criadas por Deus “Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas...” (Romanos 11:36). Deus é aorigem, o meio e a finalidade de tudo.

Como vimos acima, quem busca profetizar com dança precisa ser totalmente guiado pelo Espírito Santo. As palavras, ou a dança não podem vir da sua boca por vontade própria, mas sim vir da parte direta de Deus, somente assim será profética. Não devemos nos enganar achando que estamos dançando proféticamente, quando na verdade estamos dançando segundo a nossa própria vontade. Deus sempre sabe a verdadeira intenção do nosso coração e a revela. Jr.29:8,9 e Jr23:16.

Quem profetiza com danças precisa ser comprometido com as verdades de Deus, não podemos falar a pura palavra de Deus até que sejamos libertos do temor de homens e do desejo de ser reconhecido e aceito pelas outras pessoas. Cuidado com o desejo de fama e glória para si, isso certamente anulará a dança profética, tornando-a apenas uma mera apresentação vazia e sem a presença de Deus. A primeira prova da integridade e qualidade profética de uma mensagem ou ação é saber se provém direto do Espírito Santo e de um genuíno contato com Deus e se testifica com as verdades da palavra de Deus, e aquele que tem intimidade com Deus saberá reconhecer a Sua voz e se foi relamente Ele quem disse. II Pe 1:18,19.

O movimento profético na dança é fruto de uma total entrega ao Senhor, até porque já aprendemos que ele só acontecerá mediante a junção da adoração da terra com a adoração do céu. Esse movimento também é de intimidade com a pessoa de Deus, e Sua personalidade, de uma maneira tal que nos “fundimos a Ele”. Assim, tornando-nos com nosso Mestre uma só peça que traz na sua plenitude o discurso corporal da vontade de Deus!

A Santidade é o primeiro passo a ser rigorosamente seguido para quem quer dançar proféticamente. I Cro 16:29; Sl 29:2; Sl 96:9; IICo1:12; II Co 7:1.

A verdadeira adoração é uma via de mão dupla, é o resultado de uma vida de busca e intimidade com Deus. Quando estamos diante do Senhor temos a oportunidade tanto de expressarmos o que sentimos por Ele quanto de ouvirmos a sua voz, O conhecermos e sabermos o que está em Seu coração e dar a Ele a adoração que o Espírito Santo irá gerar em nossos corações. A verdadeira dança profética é gerada pelo Espírito Santo de Deus e expressará algo genuínamente divino.

Quem profetiza, profetiza para Edificação, consolação e exortação. I Co 14:3. E também profetiza para que o povo obtenha a direção de Deus. Pv 29:18.

Nem todo aquele que dança é chamado para ser profeta, mas é possível a quem dança profetizar na dança. Toda pessoa pode potencialmente profetizar. O derramamento do Espírito sobre toda a carne traz consigo os seus próprios resultados: "e profetizarão" At 2:18. Paulo exortou os crentes de Corinto.

DANÇANDO

Existem expressões e movimentos dentro de você que só podem ser liberados quando você dança. Muitas vezes você não encontra palavras para expressar o que você está sentindo, a dança então as libera. *

Podemos definir a dança como a arte de combinar uma sequencia de movimentos usando o corpo, exigindo coordenação motora para executar uma estrutura de movimentos em tempo e espaço. Esses movimentos podem ser ritmados ou não.

A arte é capaz de unir corpo, alma e espírito em adoração. Usando o corpo para expressar sentimentos gerados na alma e alinhar-se com o Espírito de Deus para agradar ao Pai.

O que dançar e como dançar?

Espontâneo: (lat tard spontaneu). Que se origina em sentimento ou tendência natural, em determinação livre, sem constrangimentos, sincero, que se pratica de livre vontade, voluntário...

Há um grande impace com relação há uma dúvida muito comum. A dança profética é a dança espontânea (aquela que é gerada na hora sem ensaios) ou pode ser coreografada (aquela que é preparada antes onde todos dançam a mesma coisa)?

Ainda prefiro acreditar e ressaltar Rm. 11:36, onde Paulo nos diz que tudo é feito por Ele e para Ele. Creio que as duas formas são aceitáveis e agradáveis ao Senhor. O "X" da questão é pra quem estamos dançando. Se preparamos todo um aparato de uma coreografia bem ensaiada, roupas impecáveis, cabelos bem penteados e tudo mais que envolve a dança sem termos a verdadeira essência, o verdadeiro porque, colocamos tudo a perder.

A nossa motivação precisa sempre ser o Senhor, a dança precisa agradar a Ele, as roupas precisam ser feitas pra Ele vê. Nenhum sentimento de "pura apresentação de talentos" pode ser encontrado em nós. Não dançamos para um público e diante das pessoas, mas dançamos para um Deus e diante de um trono. Somente Ele deve ser o nosso alvo.

Longe de nós todo o exibicionismo, toda forma de soberba ou orgulho. Se a nossa dança está sendo movida por esses sentimentos, está subindo para Ele um odor fétido e Ele não tem se agradado de nós.


Andeis de modo digno à vocação...

Gostaria de ressaltar sobre as roupas. Tenho visto muitos irmãos seguindo um caminho errado nesse ponto. Roupas transparentes, decotadas, justas e curtas não estão no padrão de Deus. Tudo que enaltece o nosso corpo não está condizente com a dança que temos que oferecer ao Pai e muito menos com a dança profética. O único a ser apreciado tem que ser Jesus, não o nosso corpo. Somos apenas instrumento dEle para Honra e Glória do Seu santo nome. Nunca podemos nos deixar ser intrumentos de desonra, vergonha e de sensualidade.

Cabe a mim e a você estarmos em sintonia com Espírito Santo para sabermos qual a roupa mais adequada a ser usada. Se a questão for sensualidade, qualquer parte do corpo pode ser sensual: os braços, as pernas, a cabeça... Ou até mesmo um simples olhar. O fato é que a sensualidade é o reflexo daquilo que está no interior do homem. Em Lucas 6:45 está escrito: “... a boca fala do que está cheio o coração”. Se existe sensualidade, é preciso parar e se arrepender e tratar a raiz desse sentimento.

Para os que adoram ao Senhor com danças, o corpo é quem fala! Se o nosso coração for um coração quebrantado, se somos filhos que fazem e se movem sobre debaixo da vontade do Pai, seremos canais para que o sobrenatural de Deus se manifeste através de uma dança verdadeiramente profética. Caso contrário seja qual for a dança, independente da técnica, não será adoração. Será espetáculo. Deus não está interessado em espetáculos.

Não quero trazer valores seculares para a esfera eclesiástica. Cremos que o que é realizado no mundo, e pelo mundo, é um produto distorcido daquilo que Deus estabeleceu para mim e para você na Palavra. Mas não podemos nos deixar aprisionar por conceitos ou preconceitos equivocados. Deus nos deu dons. Cabe a nós desenvolvê-los e devolvê-los ao Senhor com qualidade. Ele quer nos encher do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento para que façamos tudo com excelência. Vale a pena estudar e investir tempo em treinar o corpo para a dança. Não deixe isso de lado, a técnica é importante, mas não deve ser o centro e a prioridade. Não podemos desperdiçar a ciência que o Pai tem nos ofertado. Portanto, deixemos o corpo ser verdadeiramente templo do Espírito Santo! E que um forte mover nos leve de maneira muito peculiar à presença do Pai.

Adoremos e Dancemos até que todos profetizem!

*Trecho extraído do Livro Dançando com o Cordeiro.

3 comentários:

Meninas dos olhos de Deus disse...

gostamos d+++++++++ do seu blogger.
que Deus continue te usando para abençoar vidas
fique na paz

fernanda disse...

Oi Ro
Muito legal tx...tremendo!
Deus abençoe!
bjos

Anderson Piccoli disse...

Gsotei do teu blog.... parabéns!!


Obrigado por visitar o meu e pelo seu recadinho!!!!

Abraços fraternais, DTA!!!!

Postar um comentário

Obrigada pela visita... volte sempre!